Estudo Urodinâmico

O Que é?

O estudo urodinâmico consiste na avaliação funcional do trato urinário inferior (TUI), ou seja, avalia o funcionamento da bexiga e da uretra.
O TUI tem duas funções diferentes: armazenar a urina sem permitir perdas e esvaziar-se totalmente sob nosso comando. Existem diversas doenças que podem afetar a fase de armazenamento, a fase de esvaziamento ou ambas.
O TUI manifesta estas alterações através de dor, alteração do enchimento ou alteração do esvaziamento, qualquer que seja a origem do problema.
O exame urodinâmico tem como objetivo reproduzir estes sintomas para o correto diagnóstico e orientação do tratamento

 

Para Que Serve?

O exame urodinâmico está indicado nos casos onde exista dificuldade para armazenar a urina ou para eliminá-la voluntariamente no momento adequado.
As dificuldades de armazenamento podem se manifestar como dor ao enchimento vesical, pequena capacidade da bexiga obrigando a esvaziamentos freqüentes de pequenos volumes, urgência de esvaziamento vesical ou perda de urina involuntária diurna ou noturna.
As alterações na micção podem se manifestar como jato urinário fino e fraco, necessidade de esforço abdominal para a micção ou sensação de esvaziamento incompleto da bexiga.
As infecções urinárias de repetição podem ser devido a alterações na fase de armazenamento ou de esvaziamento.
Estas alterações podem estar presentes nas crianças ou adultos de qualquer idade e de ambos os sexos, ficando a cargo do urologista avaliar a necessidade da realização deste exame.

 

Quais os riscos?

O exame urodinâmico é geralmente bem tolerado. O material empregado é completamente estéril, porém ainda existe risco de infecção urinária.

Você poderá sentir certo grau de desconforto ou ardência uretral que deve desaparecer em 24 horas.
Pode haver algum grau de sangramento urinário que na maioria das vezes se manifesta através de raias de sangue ou pequenas gotas que freqüentemente desaparecem rapidamente.
Atenção para sintomas tais como febre, calafrios, ardência urinária e aumento da freqüência miccional.

 

Como é feito?

O exame é feito com bexiga inicialmente cheia, portanto é necessa´rio que o paciente beba bastante líquido, de modo que a bexiga fique confortavelmente cheia. Não há restrições quanto à alimentação e não é necessário jejum.

O exame urodinâmico pode ser realizado em pacientes de ambos os sexos em qualquer idade, desde recém nascidos até idosos.  Não podendo ser realizado na presença de infecção urinária, que deve ser tratada previamente.

Esse exame é dividido em três partes: urofluxometria, cistometria e estudo miccional.
Inicia-se a avaliação com a micção em um fluxômetro, que mede o jato urinário.
Após a micção coloca-se uma ou duas sondas, bastante finos e maleáveis, pela uretra até a bexiga, e outra no reto. Essa introdução é facilitada com o uso de pomada lubrificante anestésica.

Após a introdução, aspiramos as sondas da bexiga para verificar se há urina não eliminada durante a micção (resíduo).

Coloca-se então o paciente sentado ou em pé e enche-se a bexiga com soro através de uma das sondas enquanto a outra mede o comportamento da bexiga através de transdutores ligados a um computador que nos fornece os dados através de gráficos e números. Ao atingir a capacidade máxima da bexiga retiramos a sonda de infusão e o paciente urina com a outra sonda na bexiga para avaliarmos a fase miccional. Após a micção aspira-se novamente o resíduo de urina da bexiga. Este ciclo de enchimento e esvaziamento é repetido até obtermos todas as informações importantes para o caso.